[ editar artigo]

Como ensinar empatia e não criar crianças egoístas

Como ensinar empatia e não criar crianças egoístas

Há algumas décadas era comum ver famílias grandes com mais de três ou quatro crianças, onde as roupas passavam do mais velho até o mais novo, assim como os brinquedos. Não é que as gerações atuais não entendam o que é dividir, mas é inegável que muitos pais não sabem o que estão fazendo, e desesperados com os desafios não ensinem seus filhos a lidarem com o mundo, e com as pessoas ao redor.

Nas sociedades ocidentais é comum encontrar famílias que vivem em função da criança, e que ao não imputar limites se prejudicam. Seja como recompensa ou pela culpa de não estarem presentes no cotidiano da criança, muitos pais acabam se tornando reféns da própria falta de limites, e começam a se perguntar onde estão errando, já que os pequenos não demonstram o mínimo grau de preocupação.

Dentro de um lar, a ordem e a harmonia nem sempre precisam estar equilibradas. Crianças precisam de limites, segurança, saúde e amor. O que elas não podem é sentir que seus pais se sentem inseguros em relação ao que elas sentem por eles, pois aí podem iniciaram um jogo infantil muito comum de manipulação, que pode prejudicar a todos da casa, mesmo que seja comum da idade. Por isso, é importante que os pais entendam que precisam ser respeitados, e que seus filhos irão sim amá-los, porque os admiram e não por qualquer outro motivo.

Um bom exercício para criar crianças mais empáticas é fazer perguntas. Não como método de punição, mas para aprendizado e reflexão. Quanto mais cedo elas aprenderem a pensar, melhor.

Pergunte a seu filho: “Como você se sentiria no lugar de fulano?”, “Você gostaria que te tratassem dessa maneira?”, “Como você acha que essa pessoa se sente?”, até que perceba que ele realmente está amadurecendo.

Mesmo que não concordem com tudo, as crianças enxergam o esforço de seus pais. Por isso é importante mostrar segurança nas palavras, e ter tato para entender o lado das crianças. Elas aprendem não apenas com o que é dito, mas principalmente com o exemplo.

Papo de Pai
Isa Vaal
Isa Vaal Seguir

Psicóloga e fundadora do TotoyKids

Ler conteúdo completo
Indicados para você