Lendo Agora
Garotinha dá ‘mata-leão’ em coleguinha de classe que a pediu em casamento

Pensar em uma linda criança utilizando um “mata-leão” parece algo anormal?

Uma fofíssima garotinha de 3 aninhos de idade deu um golpe de defesa pessoal, utilizado em artes marciais como o jiu-jitsu, em um coleguinha de classe. O curioso foi que a reação da menina aconteceu depois que ele a pediu em casamento.

Garotinha dá 'mata-leão' em coleguinha de classe que a pediu em casamento - Papo de Pai

Kynlee McFetridge estuda na pré-escola Saint Charles, no estado americano do Missouri. A mãe da menina descobriu a causa do incidente ao conversar com a filha.

O nome do garotinho é Jack e foi ele quem fez o inapropriado pedido de casamento cujo o qual Kynlee não gostou nadinha. “Mas crianças não deveriam se casar, e por isso eu dei um mata-leão nele, por isso eu fiz isso com ele”, disse kynlee em resposta ao questionamento da mãe.

Nem tudo é que parece

Garotinha dá 'mata-leão' em coleguinha de classe que a pediu em casamento - Papo de Pai

Apesar do fato inusitado, a razão pela qual Kynlee fez isso é de partir o coração. Quando tinha apenas cinco meses de idade, Kynlee passou por uma cirurgia cardíaca. Seu pai, Scott McFetrige, ensinou à pequenina golpes de luta para que ela fosse capaz de se defender, caso necessário.

Ela disse que o motivo para ensiná-la a lutar foi para que ela fosse capaz de se fortalecer e acompanhar as outras crianças.

VEJA TAMBÉM
Ele bomba no Instagram por tirar fotos inusitadas com sua filha

Garotinha dá 'mata-leão' em coleguinha de classe que a pediu em casamento - Papo de Pai

 

Ainda assim, o pai de Kyleen concorda que ela pode ter passado da conta. Porém, o mais importante é que ele realmente ajudou-a a se fortalecer o suficiente para se defender.

Embora não fosse necessário a utilização da defesa pessoal por parte da garotinha, tudo que aconteceu foi de maneira lúdica e com muita pureza. O pai de Kynlee fez um trabalho incrível quando a ensinou maneiras de se defender e, acima de tudo, lhe devolveu auto estima e confiança.

Ver Comentários (7)
  • “tudo que aconteceu foi de maneira lúdica e com muita pureza”
    Difícil acreditar nisso não sendo o menino atacado que disse.

  • Nossa que materia direcionada em, uma criança que não sabe nada da vida estava sem auto estima ou confiança por acaso? Assim sem motivo nenhum? Hahaha, quem promove violência não é de maneira alguma correto, esse pai aí tá precisando educar melhor sua filha.

  • Nossa que materia direcionada em, uma criança que não sabe nada da vida estava sem auto estima ou confiança por acaso? Assim sem motivo nenhum? Hahaha, quem promove violência não é de maneira alguma correto, esse pai aí tá precisando educar melhor sua filha.

  • Que matéria mais imbecil… Uma criança maltrata outra (que até onde sabemos a vítima não cometeu agressão) e o debiloide que escreveu isso trata o caso como se estivesse falando de uma mulher adulta que se defendera de um estuprador ou coisa parecida.
    Sério, que tipo de retardado enxerga uma situação dessas como se fosse algo bonitinho e justo?
    O correto é que a escola expulse a criança agressora como advertência aos pais.
    Comportamento violento só é justo em caso de legítima defesa e obviamente uma criança fazendo um pedido de casamento não é a porra de uma tentativa de estupro. Caralho, eu não tô acreditando que tem marmanjo que escreve uma merda dessas tentando exaltar um comportamento errado de uma criança.
    Kkkkkkkk! Tem que ser mais infantil que a criança em si para pensar dessa forma.
    Não acho que a menina venha a se tornar uma psicopata nem nada do tipo, até porque crianças dessa idade cometem erros bem sérios que às vezes colocam suas próprias vidas em risco, mas não se deve louvar um comportamento errado com uma justificativa estúpida.
    Lembre-se que a outra criança também tem pai e mãe e também é um ser humano que também erra.
    E a desproporcionalidade da “defesa” foi o erro da menina.

    • Você comenta criticando a naturalização da violência na matéria (e eu em partes concordo com o seu ponto de vista) mas agride e ofende do início ao fim. Não sei em que tipo de ambiente você vive, ou com quem está acostumado a lidar, mas aqui no Papo de Pai respeito e educação são primordiais. Então vou pedir que continue participando e dando a sua opinião sobre tudo o que tiver vontade aqui no nosso portal. Mas antes repense sua forma de se comunicar porque desse jeito não é possível dialogar contigo.

    • E pior seria se fosse o contrário, iam fazer essa matéria só falando mau da criança e dos pais, e provavelmente falando q os pais estão ensinando a criança a ser machista e tals

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Conteúdo sob licença Creative Commons by nc-sa 2.5 br

Rolar para topo