6 minutos de leitura

A relação entre pai e filho(a) começa muito antes do nascimento da criança. Na cabeça do babão, o filho vai ser mulherengo e aparecer com muitas namoradas em casa. E sua filha será a princesinha do papai – feminina, frágil, meiga e deve usar roupas cor-de-rosa.

Guia de Pai

Muito antes da criança vir ao mundo, ela já é sinalizada por uma série de idealizações e projeções dos pais. E isso permanece por muito tempo.

Por esse motivo, quando os pais recebem a notícia que seu filho ou sua filha é homossexual é um verdadeiro choque. Muitos ficam sem”sem chão”, como mesmo dizem.

“A gente aceita o filho ou a filha do vizinho homossexual, mas quando acontece em casa…”.

Essa frase ilustra perfeitamente a realidade dos pais que se abalam ao descobrir a homossexualidade de um filho. Mesmo com a avalanche de informações divulgadas sobre o assunto, aceitar a questão continua sendo difícil para muitos.

Caso essa seja sua realidade – e se não for também, é preciso ter respeito, empatia e uma maior compreensão sobre. Por isso, trouxemos esse conteúdo tão importante – temos grandes exemplos para te apresentar!

Selecionamos 3 famosos com filhos LGBTQIA+. Eles contam sobre o processo de descoberta e como o amor foi o grande passo da aceitação dos filhos.

Famosos que têm filhos homossexuais

O Papo de Pai preparou uma lista com os famosos que tem filhos homossexuais e falam sobre aceitação e a relação com os seus herdeiros. E o bacana é que todos eles têm algo em comum: muito orgulho!

Tadeu Schmidt e a filha Valentina

Valentina, filha do apresentador Tadeu Schmidt, se define como queer. Crédito imagem: Instagram/@valentinaschmidt

“Minha filha continuou sendo a mesma”, comenta o apresentar do “Big Brother Brasil”, Tadeu Schmidt, sobre Valentina, sua filha mais velha que se assumiu queer.

A primogênita do jornalista se declarou queer em junho de 2022, no Dia do Orgulho LGBT+. Na época, ela disse que a data celebrava um ano desde quando tomou uma das decisões mais difíceis de sua vida.

“Uma decisão da qual me orgulho profundamente. Tenho orgulho de ter a liberdade para falar abertamente sobre a minha sexualidade. Orgulho de amar quem eu quiser. Orgulho de ter uma família e amigos que me apoiam incondicionalmente. Orgulho de ser uma mulher queer. Orgulho de ser eu”, completou a atriz.

Recentemente, a jovem celebrou um ano de namoro com o estudante de psicologia Christiano Donnelly Vaz. E para comemorar a data, publicou uma homenagem no seu Instagram.

“Um ano. 365 dias. 525.600 minutos com você! Obrigada por ser o melhor companheiro do mundo e por cada alegria que você me traz todos os dias. Feliz dia 7 para gente”, publicou a atriz na legenda de uma foto dos dois.

>> Mas afinal, o que significa queer?

A sigla LGBTQIA+ inclui letras que podem ser usadas para explicar a orientação sexual, a expressão e a identidade de gênero. Entretanto, o “Q”, de “queer” é a letra com que Valentina, filha do apresentador Tadeu Schmidt, se identifica para expressar como vive o amor e as relações afetivas.

O termo é usado para representar pessoas que não se identificam com padrões impostos pela sociedade e transitam entre os gêneros, sem concordar com tais rótulos, ou que não saibam definir seu gênero/orientação sexual.

Popó e o filho Juan

Popó Freitas e o filho gay Juan Freitas (Foto: Reprodução/SBT)

“Só me dá orgulho”, revela Popó sobre relação com filho gay.

O ex-lutador de boxe, Popó, não conquistou medalhas somente nos ringues. O boxeador também nocauteou o preconceito e ganhou seu troféu mais importante: o ótimo relacionamento com o filho Juan Freitas, estudante de medicina.

“Minha reação foi normal, não vi nada de mais. Apesar de vir de uma família preconceituosa, sigo os tempos de hoje e não vejo a orientação sexual de alguém como um monstro. Eu só passei a ter um cuidado maior com o Juan, dar mais atenção porque a sociedade ainda é majoritariamente machista e preconceituosa”, relembra 

Marcelo Tas e o filho transexual Luc

O apresentador Marcelo Tas e o filho transexual, Luc (Foto: Nicholas Athayde-Rizzaro)

“Me ensina a viver com coragem e afeto”, comenta o apresentador Marcelo Tas sobre seu filho transexual.

Foi em setembro de 2014 que o apresentar Marcelo Tas abriu para o público sobre a transexualidade do filho mais velho, Luc. O primogênito do jornalista revela que se descobriu bissexual aos 15 anos e transexual aos 22.

Tas afirma que o jovem sempre teve apoio em casa e a relação deles nunca foi afetada devido às preferências do rapaz. “As questões de sexualidade e gênero são importantes. Mas não são mais importantes do que o amor incondicional que devemos manter na nossa família. Este sim é o assunto mais importante da nossa vida”, garantiu ele.

>> O que é transexual?

Na sigla LGBTQIA+, a letra “T” representa travestis e transexuais.

O termo transexual foi criado na primeira metade do século 20 para denominar as pessoas que não se identificam com o sexo biológico atribuído ao seu nascimento.

Meu filho é gay, o que posso fazer?

Acima de tudo, é fundamental o acolhimento dos pais e familiares. Todavia, as idealizações, a ignorância e o preconceito precisam ser deixados de lado para que o apoio seja completo. 

Busque informações sobre o assunto, troque ideias com pessoas que passam pela mesma situação e evite julgamentos.

→ Importante: não existe cura gay!

Recomendo que assistam esse vídeo do influencer Vitor di Castro contando como foi a sua infância quando os pais o colocaram em uma terapia de “cura gay” e o quanto isso gerou sofrimento e traumas em seu processo de aceitação.

O amor supera todo o preconceito

O fato do seu filho ou da sua filha ser homossexual não altera em nada a pessoa que ele(a) é. Portanto, existem algumas atitudes importantes a serem feitas por parte dos pais. A aceitação precisa ser de forma que seu filho realmente se sinta bem e confortável.

Além disso, existem alguns dados que impressionam quando o assunto é a importância da aceitação. A população LGBTQIA+ tem chances de 2 a 4 vezes maior de cometer suicídio, e o principal motivo é a falta de aceitação.

Dessa forma, é extremamente importante que os familiares sejam um grande pilar de sustentação. Pensem: se o meu filho é gay, como posso ajudá-lo e apoiá-lo? Como posso contribuir para que ele se sinta amado?

Pode ser que o caminho seja difícil e trabalhoso, mas com amor e compreensão acima de qualquer preconceito e idealizações, é o que vai garantir um desfecho mais feliz e leve, tanto para os pais como seus filhos.

Seja o primeiro a comentar!

Deixe um comentário

Nossos Parceiros