O Papo de Pai é a maior comunidade de pais do Brasil, cujo propósito é incentivar e fomentar a mudança de comportamento dos homens, pra que possam se tornar protagonistas na criação dos seus filhos

Nossas redes

Em tempos de polaridade e ideologias, confesso que pensei duas vezes antes de escrever o texto que vem a seguir. Seria estúpido sugerir que os pais criem meninos da mesma maneira que criam meninas. Como também acredito que o contrário não seja errado. E me antecipando aos julgamentos, respeito você que pensa diferente, afinal de contas é por pais que educaram seus filhos com sua verdade que […]

Em tempos de polaridade e ideologias, confesso que pensei duas vezes antes de escrever o texto que vem a seguir.

Seria estúpido sugerir que os pais criem meninos da mesma maneira que criam meninas. Como também acredito que o contrário não seja errado. E me antecipando aos julgamentos, respeito você que pensa diferente, afinal de contas é por pais que educaram seus filhos com sua verdade que temos as diferenças que estão aí e devem ser respeitadas.  Dito isso, vamos em frente! 

Mesmo que os pais prefiram criar os filhos em uma sociedade cega para os gêneros, precisamos ainda enfrentar questões exclusivas das filhas.  Não é possível educar uma menina durante toda a infância, e grande parte da sua adolescência, sem pensar no mundo que à espera sendo mulher. A mãe dela que o diga!  

Canais especiais

Canais especiais

O mais importante é que essas questões têm pouco ou nada a ver com as pequenas. Os obstáculos que os pais enfrentam estão ligados aos estereótipos de gênero que os nós absorvemos à medida que passamos de meninos para homens. 

E isso significa que os pais podem precisam trabalhar essa evolução em si mesmos, tanto quanto em suas habilidades parentais.  

A dura verdade é que alguns pais terão dificuldade em superar suas noções preconcebidas de como as meninas devem ser criadas. Mas com uma dose saudável de perspectiva e abertura, qualquer pai pode se destacar ao criar uma garota. 

Eles só precisam entender que, sim, há diferença. E ela certamente começa pela visão do pai. Mas se algo pode tranquiliza-los, caso ainda não tenham filhas, é que assim que você se torna pai de uma menina sua visão sobre elas mudará drasticamente.

E se você tem filha e torceu o nariz quando leu isso, existe algo errado. Reflita e até converse sobre isso com sua esposa, ou até mesmo com a sua mãe. 

Tive uma pessoa com quem me relacionei, após o meu divórcio,  que teve um papel brilhante em me passar o que é ser mulher e o que minha filha enfrentaria ao longo do seu crescimento.

Essa pessoa em questão, me deu até outros rumos nos meus futuros relacionamentos e na maneira como olhar para uma mulher. E acreditem, não sou nenhum ogro ou homem das cavernas. Mas isso é papo para outro texto. Só acho que devo essa homenagem e reconhecimento a ela e sei que ficará feliz.

Ser pai significa estar presente para os interesses da criança. Afastar-se de uma filha que quer fazer uma comidinha de brincadeira, ou se fantasiar de princesa Disney, é dizer que há algo inerentemente errado em seus interesses quanto menina. 

Portanto, é melhor que os pais entrem no jogo, mesmo quando as atividades são femininas. É uma ótima maneira de mostrar às filhas que seus interesses e idéias são importantes e válidos, independente de quão cor-de-rosa e brilhantes possam ser.  

Pense pelo seguinte prisma, você certamente conquistou a mãe dos seus filhos fazendo e atendendo as expectativas dela como mulher. Com sua pequena não é diferente. 

Conteúdo relacionado

Nossos parceiros