Em Pernambuco Casal americano adota quatro irmãos para que eles não se separem
Há três anos, um casal americano decidiu aumentar a família. Brandon e Jennifer Pratt, que vivem em Iowa, optaram pela adoção. O primeiro passo foi...

Há três anos, um casal americano decidiu aumentar a família. Brandon e Jennifer Pratt, que vivem em Iowa, optaram pela adoção. O primeiro passo foi ir atrás das informações sobre o processo, que aqui no Brasil é bastante demorado, podendo chegar a anos de espera.

Por estarem familiarizados com a cultura do Brasil, já que a irmã de Jennifer se casou com um brasileiro, eles decidiram entrar com o pedido aqui mesmo no país. E, de cara, já decidiram que dariam preferência a adoção de irmãos, já que gostariam de ter mais de um filho. “Nós optamos por adotar irmãos, pois sabíamos da dificuldade do processo de adoção e queríamos passar por tudo isso de uma só vez”, explicou Brandon ao site Achei USA.

Em Pernambuco Casal americano adota quatro irmãos para que eles não se separem - Papo de Pai

Brandon e Jennifer contrataram uma agência de confiança para ajudá-los no processo, que durou cerca de dois anos e meio. Durante este tempo, procuraram por uma família de irmãos até encontrarem Leandro, Cristiano, Enzo e William, que tem entre 2 e 6 anos.

Os irmãos estavam vivendo em um orfanato em Recife, Pernambuco, pois a mãe das crianças perdeu a guarda por negligência. Após um período de adaptação obrigatório de 30 dias, a família se mudou para os Estados Unidos em 22 de dezembro do ano passado.

Em Pernambuco Casal americano adota quatro irmãos para que eles não se separem - Papo de Pai

Brandon conta que, apesar de chegarem lá sem falar inglês, os meninos tiveram uma boa adaptação. Hoje, poucos meses depois da adoção, já estão integrados com a nova rotina na escola e em casa, além de já terem progredido rapidamente no inglês.

Em Pernambuco Casal americano adota quatro irmãos para que eles não se separem - Papo de Pai

“Estamos sempre atentos para oferecer aos meninos a maior quantidade de experiências possíveis. Nós vimos um grande progresso no idioma logo que chegamos aos EUA. Eles são meninos fáceis de lidar e a adaptação está sendo bem mais fácil do que imaginávamos”, finalizou.

Imagens Reprodução/Facebook

Publicado em qui, 13/12/2018
Redação Papo de Pai
Formada por Jornalistas, Publicitários e profissionais de outras áreas que colaboram direta e/ou indiretamente com o site Papo de Pai.

Posts mais vizualizados


© 2016 / Todos os direitos reservados.