[ editar artigo]

Sobre o papel do pai durante a gravidez

Sobre o papel do pai durante a gravidez

Introdução:

Para quem acessou o blog através do site (atitudereligare.com) sabe que eu sou Psicólogo e tenho algumas formações voltadas para paternidade e afins. Mas a ideia aqui não é dar lições de psicologia, e sim falar de forma leve e franca, sobre a minha percepção do papel de PAI. Cruzar essa opinião com aspectos filosóficos e embasar cientificamente, isso tudo sem deixar que fique maçante ou cansativo.

Para esta primeira publicação, vou trabalhar o que é paternidade, o novo papel do PAI, que sofre drásticas alterações devido ao novo papel da mulher também, seu emprego como PAI ativo durante a gravidez, e os impactos de sua presença no desenvolvimento dos bacurizin(filhos). E acredite, nós somos tão importantes e fornecemos tantos nutrientes quanto nossas guerreiras durante esta fase tão especial/desafiadora.

 


O que é Paternidade?

A base epistemológica faz menção a palavra PAI, sendo paternidade sua derivação. Nascida do Latim Patre /Patris, representa figura genitora, que provem a vida (antes referenciada a Deus). Sofreu evolução semântica e hoje representa não somente o vínculo sanguíneo mais também vínculos afetivos e de cuidados com apego a figura paternal. 

“Pai é aquele que ama e cuida”, hoje temos inúmeros exemplos de PAIS que mesmo sem conexão genética desempenham esta tão honrosa missão de guiar uma vida. Novas configurações familiares sugiram, mais a figura paterna jamais deixará de ser necessária. Para Psicologia por exemplo, a figura Paternal mesmo que não exercida por um Pai (aqui masculino) será suprida por uma figura que represente tais valores, seja este um avô, tio, amigo da família entre outros que tenham proximidade e conquistem a admiração da criança.

 


Engravidou, o que devo fazer? 10 passos para sobreviver:

Ser PAI antes mesmo de nascer não é difícil, inicie com muito amor, mas cuidado com a expectativa, sempre vai haver uma ideologia de filho predefinida na sua cabeça, e ela pode ser muito perfeita, mas acredite, filhos são muito mais coisas boas mas existem alguns detalhes não tão bons (tipo o sensor deles, para evitar a produção de irmãos).

· Planeje; Eu nunca vi ninguém pegar um carro e sair andando sem pudor, na maioria dos casos temos um instrutor que nos orienta em todo o processo, nós fazemos provas para averiguar nossa destreza e só então nos colocamos a dirigir, enfim preparados. Para essa nova empreitada não é diferente, busque um tutor, sejam seus pais, seja um amigo bem entendido, uma doula ou busque-nos

O planejamento nos permite o preparo, ambos somam a ponte para o sucesso. Família é o único lugar onde eu busco constantemente ter êxito.

· Escute; Não estou falando de ouvir, do ato auditivo e sim de escutar, preste atenção e não use as resposta de modo operante que sempre deram certo: aham, simsim (doble yes = morte), entendi, já vejo... E por ai vai. Leitores, peço em prol da manutenção da sua vida, presta atenção na rechonchuda, ela está com os hormônios em euforia, os sentidos estão a flor-da-pela, se ela começar a chorar você dificilmente conseguirá reverter, e isso vai te doer muito.

· Não discuta; Elas ficam mais teimosas que carro álcool em manhã de geada (carburados), não é normal, coloque a culpa em Deus, respire e não contradiga diretamente, vai falando devagar até que ela entenda o que você quis dizer, e sempre esteja apto para estar errado durante uns meses. Não altere o animus dela para algo negativo em virtude de uma razão.

· Corteje; Eu particularmente não tive problemas com isso, pra mim ela reluzia, era exuberante, tinha tanto poder que carregava vida dentro dela, minha vida. Lembra que a xerosa pode estar com o humor oscilando mas não deixa de ser a gatinha pela qual você lutou e manteve sob sua guarda. Se ela se sentir desconfortável com algo, lembra das limitações físicas (rapa as canelinha dela, outras regiões se ela quiser, massageie as costas para que todas as posições sejam possíveis, mesmo que seja para assistir TV) incorpora o juramento da lanterna verde e seja a luz dela, seja o auxílio e faça ela se sentir linda (porque ela vai estar estranhando todas as mudanças).

· Entenda; Leia sobre o assunto (Busque conteúdo que tenha respaldo), ouça os mais velhos mas sempre tente comprovar o que dizem com alguma leitura ou consulta a um profissional da área. A gestação é o processo mais lindo de todos os que o homem pode narrar. Ele é biologicamente poético.

· Participe; Amigão, é Fla x Flu, aquele serzinho que começou do zero vai começar a agir, quando ele chutar, é pênalti de final, você faz OLA, pula, bate no peito, chora se sentir que a represa está cedendo. Quando doer, sinta a dor dela, agora mais que nunca, vocês são uma só carne.

· Preveja; Não fique esperando ela chorar por dor nos pés que estão inchados mané, liga o Maomé, dá uma de profeta e quando perceber que lá perto do meio dia vai doer o pé, esteja as dez com um puff nas mãos e um sorriso no rosto (“amor, bora levantar essas perninhas, minha redonda?”).

· Exponha seus anseios; Ela precisa saber o que te preocupa, para não se sentir um fardo, você não pode só acolher, tem que ser acolhido. Afinal de contas também sofremos com tudo o que elas sofrem e com as mudanças que virão. 

· Divida seus projetos, ou como eles mudaram; Ela precisa saber quem substituiu o Namoradão safado pelo PAI Herói, sua perspectiva deve incluir as mudanças da fase que rompeu. Sua cabeça e seu espirito não são mais livres, e você precisa mostrar isso tanto em ações quanto em palavras. Nunca deixe margem pra dúvida quando o assunto são valores, ela vai enjoar do seu perfume ou de você negrão.

· Ame acima de tudo; Não é fácil, e não é integral, ela não vai entender que você sofre com o sofrimento dela, com o distanciamento, com os humores e com tantas mudanças e por mais que seja sexista, não é você que está carregando um tubarão dentro do saco, você entende empaticamente as mudanças, ela sente na pele. Se curve a isso, entenda e seja mais compreensivo do que os textos bíblicos. Se você seguir os outros conselhos, com este último ama-la vai ser mumu, ela é mais do que merecedora, você só tem que aceitar.

 


Participante ativo, no período de gravidez:

Falar sobre ser um Herói de Pai é fácil, quero ver falar da gravidez da sua esposa sem dar briga. Se eu pudesse fazer um trocadilho besta, eu diria: “O homem, durante a gestação de sua parceira, enfim entente a GRAVIDADE da situação em que se meteu”. Pra quem ainda acredita que o relacionamento começa de verdade quando se juntam os trapos e vão morar juntos, te desafio a gerar um filho.

Foi se o tempo em que o homem podia colocar a mulher dentro de uma caverna e esperar ela sair com um filho de lá, e pra você que está achando isso exagero ou metafórico, uso como exemplo nossos avós, pergunte para sua avó como foi a gestação dela, e quando que o Avô participava (respeito e tenho muito carinho pela imagem de avô de qualquer um). Certamente ela vai te falar olhando para o alto e com um tom vago responder, que ele ajudou na hora do parto.

Nossos pais mudaram parte do processo, preocupavam-se, porém infelizmente ainda não tinha o acesso facilitado a conhecimento cientifico que nós temos hoje, ficavam limitados aos jargões médicos e um pouco de aconselhamento dos mais velhos (mesmo estes que nossos avós).

Mais o jogo mudou e nós da geração de 80 rompemos com este ideal, hoje o homem faz papel ativo, está nas consultas, faz massagem nos pés, e dentre tantas outras coisas, está sempre presente para o feto que se desenvolve (um dos momentos mais lindos da minha vida, foi ver minha filha reconhecendo minha voz, ainda nos primeiros minutos de vida). Isso tem se construído, e cada vez mais deixa de ser mérito e passa a ser obrigação moral, visto que hoje sabemos dos impactos da presença de um pai ativo.

 


Conclusão:

Pra você que chegou até aqui, percebo que você é alguém diferenciado, hoje é muito difícil pessoas que se desvencilham das redes sócias, para ler conteúdos mais densos e de qualidade, desde já, obrigado...! As dicas podem parecer meio obvieis as vezes, mas executa-las durante o dia-a-dia pode ser desgastante, por isso é importante torna-las um hábito, apesar de simples elas mudam toda a dinâmica desse período tão lindo. 

A geração da vida tem um quesito inexplicável, que é o emprego da personalidade a este serzinho e quando ela ocorre, uns acreditam que eles são inócuos e outros que nascem bons e ficam maus e vice e versa, enfim, a discussão sobre isso é gigantesca, o que é ótimo pra nós entusiastas, que poderemos conversar muito sobre essa divindade. 

E pra você que queira acrescentar algo além das 10 dicas, faz a gentiliza de deixar um comentário, o mesmo vale pra quem achou algo que se identifica. Nossa próxima vai ser feita daqui duas semanas, nela eu vou falar mais sobre o novo papel de PAI e como ele sofreu tais transformações até os dias de hoje. Você têm alguma dúvida sobre Paternidade? Deixa nos comentários que eu vou responder assim que possível.

Papo de Pai
Eduardo Dos Santos
Eduardo Dos Santos Seguir

Psicólogo CRP:08/32109 Logoterapeuta; Especialista em Inteligência Emocional; Formação em Paternidade e Cuidado (UFG); Formação em Gestão de Empresas/Pessoas; Ampla Exp. Psicologia Organizacional; Colunista (Radio e Jornal); Vivência na Europa.

Ler conteúdo completo
Indicados para você