[ editar artigo]

Pai cria primeiro parquinho adaptado para crianças deficientes em homenagem a sua filha

Pai vive experiência traumática e transforma tristeza em esperança ao montar parquinho adaptado para crianças com deficiência.

O bancário Rudi Fischer passou por grandes mudanças em sua vida. A primeira foi sair de sua bem-sucedida carreira no Banco Itaú, para trabalhar de casa e assim passar mais tempo com sua filha Anna Laura de 3 anos. Depois, a inovadora criação de um parquinho adaptado.

Quando menos esperava, a vida veio e mudou tudo em seu recente projeto ao levar tragicamente sua filha em um acidente de carro, um mês após a mudança de emprego.

Pai cria primeiro parquinho adaptado para crianças deficientes em homenagem a sua filha - Papo de Pai

Extremamente deprimido, ele embarcou em uma viagem para Israel e imergiu no judaísmo. “Aprendi que deveria realizar algo positivo em nome dela para ajudar a elevar sua alma”, conta.

Pai cria primeiro parquinho adaptado para crianças deficientes em homenagem a sua filha - Papo de Pai

Com esse aprendizado em mente, Fischer seguiu viagem e foi para Jerusalém, mais exatamente em Jaffa, onde descobriu qual seria sua boa ação para o mundo em memória de sua filha: um parquinho adaptado para crianças com deficiência.

Primeiro parquinho inaugurado, outras unidades em breve

Pai cria primeiro parquinho adaptado para crianças deficientes em homenagem a sua filha - Papo de Pai

De volta ao Brasil, o ex bancário resolveu desenvolver seu projeto na cidade de São Paulo. Já inaugurado, o parquinho localiza-se na unidade da Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), no Parque da Mooca, na Zona Leste.

Nomeado de “Anna Laura Parques para Todos”, o projeto recebeu ajuda de terapeutas, engenheiros e arquitetos voluntários para desenvolver os quinze brinquedos disponíveis no local.

Pai cria primeiro parquinho adaptado para crianças deficientes em homenagem a sua filha - Papo de Pai

Hoje aposentado, Fischer investiu 120 mil reais por esse primeiro local e já tem outro parquinho em desenvolvimento, com previsão de inauguração ainda para esse ano no Parque Cordeiro, em Santo Amaro. Recife e Porto Alegre também devem ganhar seus parquinhos.

Fischer  pretende registrar a experiência em um livro, contando a história de sua filha. Além disso, o pai de Anna Laura pretende fundar uma ONG para auxiliar os pais em situação de luto.

“É emocionante poder ajudar o próximo por meio de uma homenagem para minha filha”, finaliza.

 

Ler matéria completa
Indicados para você