[ editar artigo]

O meu bebê está pronto para o desfralde?

O meu bebê está pronto para o desfralde?

Antes de mais nada, a frase que precisa estar conosco como um mantra é: Eu não desfraldo meu filho. Meu filho é quem decidiu não mais usar fraldas.

Não há mágica para o desfralde. A criança dará sinais de que está pronta para essa etapa da vida dela. A nossa função é criar um mecanismo que facilite esse processo.

Esse, como tantos outros na maternidade/paternidade, é mais um exercício de desenvolvimento emocional. Precisamos ter conosco o respeito com a criança e, jamais, colocá-la em situações de exposição, humilhação e nem comparação.

Outro dia, vi uma mãe que ganhou muita atenção na internet porque fez uma festa para seu filho que tinha abandonado as fraldas, havia emojis de “cocos” na mesa, a criança sendo fotografada mostrando fraldas e convidados postando.

Eu costumo dizer que qualquer coisa que você faz com o seu filho e que ele, quando vir fotos no futuro, não vai gostar nem um pouco, já é um ótimo sinalizador para que você não faça.

Vamos dar uma volta por vários pontos que compõem esse processo?

Amor: eu sei que parece óbvio e, `as vezes, precisamos nos lembrar para seguir com todos os outros passos. Respire fundo! Você precisa se preparar emocionalmente, tanto quanto o seu filho;

Paciência e Empatia: nem todas as crianças vão conseguir o controle e a precisão de horários. Valide os sentimentos da criança quando ocorrerem acidentes. Procure pensar que essa etapa é nova para a criança, envolve o conhecimento do próprio corpo, do espaço, de horários e regras sociais;


Observação: é preciso observar o comportamento do seu filho. Você tem a exata noção das trocas de fraldas? No período de sono, como as fraldas ficam, secas ou molhadas? O seu filho interrompe o que está fazendo para fazer “número 1 ou 2”? Ele demonstra desconforto quando a fralda está cheia?

Sinais: as pistas acima indicam aumento da capacidade da bexiga e consciência, significa que o seu filho está se tornando capaz de conectar suas sensações físicas (necessidades fisiológicas) com a necessidade de usar o banheiro;

Linguagem: à medida que as crianças aprendem a se comunicar, elas ficam mais conscientes de si. A curiosidade também faz parte do processo, principalmente, com as partes íntimas;

Diálogo: não tenha medo de conversar, de explicar a necessidade de ir ao banheiro, a   importância disso, use uma linguagem lúdica. Vale usar:  livros, desenhos, joguinhos etc.;

Expressões: fique atento as expressões faciais e corporais. O corpo fala!

Medos: seja sensível, muitas crianças sentem pavor do vaso sanitário e da descarga;

Incentivo: encoraje os pequenos sucessos, diga que a criança conseguiu porque se esforçou! Que está crescendo, e isso é bom! Fale que o banheiro é um bom lugar, crie um ambiente confortável e seguro;

Confiança: diga para a criança que, no momento certo, ela conseguirá usar o banheiro, e que pode contar com você;

Hábitos de higiene: ensine os pequenos a descartarem a fralda no lugar correto, introduza a higienização das mãos. Essas pequenas condutas vão prepará-los para etapa final, o desfralde.

Acima de tudo, esteja tranquilo e use o humor. Em algum momento o processo vai estar completo. Evite elogios e qualquer premiação (sugiro que você leia o texto sobre premiações e suas consequências no longo prazo).

Permita que seu filho se sinta seguro, capaz e orgulhoso de si mesmo.

Precisa de ajuda em alguns processos e a entender como implementar uma educação respeitosa? Vamos conversar.

Papo de Pai
Kate Amaral
Kate Amaral Seguir

Kate Amaral é educadora certificada em Disciplina Positiva. Sua jornada teve início com a maternidade, e todos os aprendizados que a acompanham e atua com o desenvolvimento de pessoas, famílias e empresas

Ler conteúdo completo
Indicados para você