[ editar artigo]

Escola coloca bolinhas de Tênis em cadeiras para ajudar menino com autismo

As pessoas que possuem o Transtorno do Espectro Autista (TEA) tem uma maneira de visualizar e sentir o mundo que pode ser muito diferente das outras pessoas. Em muitos casos, o aspecto sensorial é um fator de grande problema para esses indivíduos.

Uma escola argentina na cidade de Paraná, na província de Entre Ríos, encontrou uma maneira criativa de resolver esse problema.

Escola coloca bolinhas de Tênis em cadeiras para ajudar menino com autismo - Papo de Pai

Foram colocadas bolinhas de tênis na base de todas as cadeiras e mesa das salas de aula. A solução surgiu para que um garotinho autista pudesse estudar tranquilamente já que os ruídos o deixavam estressado.

A mãe de garoto havia publicado um post em uma rede social onde alertava que os ruídos causados pela fricção das cadeiras e mesas atordoava seu filho, impossibilitando que ele estudasse normalmente.

Escola coloca bolinhas de Tênis em cadeiras para ajudar menino com autismo - Papo de Pai

O menino se destaca por ter um bom comportamento e tirar ótimas notas mas tinha seu desempenho prejudicado pelo barulho.

O post viralizou e acabou chegando aos ouvidos dos responsáveis pela escola que entraram em contato com a mãe, informando sobre a iniciativa.

Entendendo o autismo

Escola coloca bolinhas de Tênis em cadeiras para ajudar menino com autismo - Papo de Pai

Estudos mostraram que entre 30 a 90% das pessoas com Transtorno do Espectro Autista apresentam reações extremas a imagens, sons ou outras sensações.

As reações costumam variar entre ignorar ou reagir de forma exagerada aos sentidos. Um projeto voltado para o autismo, o Simons Simplex Collection, apresentou um relatório onde cerca de 68% demonstraram interesses sensoriais pouco comuns e 65% eram sensíveis ao rúído.

Escola coloca bolinhas de Tênis em cadeiras para ajudar menino com autismo - Papo de Pai

De maneira geral, o pesquisadores não conseguiram ser específicos já que não existe um tipo de problema sensorial que seja associado diretamente ao autismo.

Um outro grupo de investigadores procurou apurar a forma como o sistema nervoso autônomo das crianças, que controla largamente as ações involuntárias, reage ao ruído.

Para esta investigação, mediram a condutibilidade da pele, a resposta das glândulas sudoríparas na mão, em crianças com e sem autismo.

Escola coloca bolinhas de Tênis em cadeiras para ajudar menino com autismo - Papo de Pai

 

Os cientistas verificaram que as crianças com autismo tinham reações autônomas mais fortes do que as crianças com desenvolvimento típico na presença de um ruído mas também na sua ausência. 

Fonte: Razões para Acreditar   Texto: Redação Papo de Pai

Quer ficar por dentro de tudo o que está rolando no Papo de Pai? Então conheça a nossa mentoria, faça parte do nosso grupo e siga a gente nas redes sociais: Facebook | Instagram | Youtube | Twitter

Ler conteúdo completo
Indicados para você