[ editar artigo]

Com a quarentena, cresce o serviço de babá virtual

Com a quarentena, cresce o serviço de babá virtual

Sabemos bem, quem está confinado 24 horas por dia com os filhos em casa, seja de home office ou não, sabe o quanto é desgastante cuidar da casa, da família, dos filhos e do trabalho tudo ao mesmo tempo, certo babão?E, como devido ao distanciamento social não é possível contar com nenhuma ajuda, só das pessoas que vivem na mesma casa que você, muitos pais estão recorrendo a ajuda das babás virtuais. 

As profissionais geralmente prestam serviço através de plataformas como FaceTime e Zoom. A maioria das agências de babás nos Estados Unidos, por exemplo, disponibilizam o serviço. Segundo informou o jornal Whashington Post, algumas empresas, como a Care.com, estão treinando seus profissionais de assistência à infância com técnicas para manter as crianças entretidas durante o bate-papo.

Com quarentena, cresce o número de babás virtuais - Papo de Pai

A mãe de três, Jennika Aronowitz, 44 anos, testou o serviço para o seu filho mais novo. Ela explica que é diferente de um programa de televisão. "Não é como se você estivesse assistindo a um vídeo ou algo que não está sintonizado com você. É uma pessoa ao vivo do outro lado que está conversando para saber dos interesses da criança e isso acaba chamando mais a atenção”, disse ela ao Washington Post. 

Jennika trabalha como promotora imobiliária em Los Angeles, e como está agora inteiramente em casa, ela aciona o serviço de babá virtual, uma vez por semana, para ajudar a filha a fazer lição de casa, brincar e conversar, para que ela consiga dar conta das reuniões do trabalho.

Com quarentena, cresce o número de babás virtuais - Papo de Pai

Segundo Rachel Charlupski, fundadora da Babysitting Company, cada babá faz um plano antecipado de como gastará o tempo do vídeo, cerca de 45 minutos a uma hora, com base na idade e nos interesses da criança. Elas oferecem desde oficinas de arte, canto, meditação, dança, ioga e idiomas. Segundo ela, muitas vezes, as crianças têm suas próprias ideias. "Recentemente, um garoto de 4 anos passou os 45 minutos inteiros trazendo comida de brinquedo para a câmera e fingindo alimentar sua babá", disse Rachel.

Negócio promissor

Com quarentena, cresce o número de babás virtuais - Papo de Pai

Inicialmente, a empresa ofereceu babá virtual para crianças de 5 anos ou mais, mas desde então realizou uma sessão para uma criança de 2 anos e meio de idade, que funcionou. Ainda assim, ela é cuidadosa ao gerenciar as expectativas dos pais. As sessões podem durar uma hora, mas ela não recomenda muito mais tempo devido ao excesso de tempo de telas.

A Babysitting Company cobra 36 dólares por uma sessão de vídeo de 45 minutos, e os clientes devem pagar no mínimo quatro horas, para serem usados ​​em momentos diferentes.

Com quarentena, cresce o número de babás virtuais - Papo de Pai

Para Stephanie Africk, da SitterStream, "as pessoas usam esse serviço de maneira diferente de uma babá". "Enquanto antes da pandemia, o compromisso de uma babá era de algumas horas, uma babá virtual pode ser reservada por períodos mais curtos ao longo do dia - apenas o tempo suficiente para os pais realizarem algumas tarefas domésticas ou de trabalho ou até mesmo tomar um banho em paz", disse Stephanie ao Washington Post.

As empresas que oferecem este serviço aleram que as sessões virtuais não substituem a supervisão de um adulto. Os pais não precisam estar o tempo todo do lado dos filhos, mas devem ficar atento ao que eles estão fazendo. A babá também fica com o celular de um deles para chamá-lo, caso a criança não queira mais ficar na frente da tela, por exemplo. 

Ler matéria completa
Indicados para você