[ editar artigo]

A carta do meu Filho autista para os Pais dos colegas em sua nova escola

Nessa minha estreia aqui no site Papo de Pai quero compartilhar com vocês a experiência que vivemos na mudança de escola do meu filho autista, o Abraão.

***

É muito comum que a mudança de escola não seja vista com muita satisfação por uma criança considerada neurotípica (normal). Afinal, todo ambiente novo gera insegurança no primeiro momento, desconforto com as novas regras e até medo quanto à aceitação dos novos colegas.

No caso da criança com TEA (Transtorno do Espectro Autista), é ainda pior o reflexo da mudança de escola. A criança autista é muito resistente à troca de rotina, principalmente na adaptação às novas regras e na interação com novas pessoas. Como toda e qualquer criança, o autista também pode não se sentir aceito, exteriorizar o medo com choro e manifestar sofrimento e negação ao novo ambiente.

Pensando nisso, tive a ideia de recorrer aos pais dos colegas do meu filho, mostrando-lhes o quanto ele poderia ensinar sobre respeito e tolerância às diferenças e ainda, aprender mais sobre amor com os filhos deles. Era preciso, também, que os pais soubessem sobre a experiência que tivemos no primeiro dia que visitamos a sala de aula nova. Foi incrível o que recebemos daquelas crianças. Por isso decidi escrever uma carta, endereçada a todos os Pais, cujo conteúdo compartilho abaixo:

A carta do meu Filho autista para os Pais dos colegas em sua nova escola 01 Abraão em sua nova escola

"Queridos pais, me chamo Abraão Lira e sou o novo coleguinha de seu(ua) filho(a). Sei que já deve ter ouvido falar de mim, afinal, sou um pouco diferente das outras crianças e muitas pessoas têm dúvidas sobre o meu jeito de ser. Não gosto muito de conversar, fico incomodado em olhar nos olhos das outras pessoas, tenho algumas manias e muita dificuldade em me concentrar.

Algo lindo aconteceu comigo no meu primeiro dia de aula na nova escola. Você sabia que fui recebido com muita alegria por seu filho(a)? Todos os meus coleguinhas me abraçaram e vi amor sincero em seus olhos e em seus sorrisos. Isso não tem preço!!! Ser enxergado como criança acima de minha deficiência me impulsiona a querer vencer todos os dias, a não desistir, a me esforçar mais para viver melhor.

Confesso que não será fácil para mim nesse primeiro momento. O excesso de barulho me deixa irritado e me assusto em ouvir muitas pessoas falando ao mesmo tempo. É algo inevitável!!! Tenho muita sensibilidade na visão e audição, e quando recebo muitos estímulos por esses dois sentidos me sinto sobrecarregado. Sou uma criança muito estimulada com terapias corretas e vou superar essa dificuldade com o tempo. 

Às vezes meus colegas falam gírias que não consigo compreender, fazem expressões faciais que não consigo decifrar, e as metáforas que ouço são um desafio para processar. Quero lhe dizer que não sou agressivo, sou carinhoso, tranquilo, e gosto muito de abraços e sorrisos.

Quero viver experiências lindas com seu(ua) filho(a) porque podemos aprender muito um com o outro. Por isso, venho através desta cartinha carinhosa escrita por minha mamãe Athayleila Lira, pedir para explicar ao meu coleguinha que gosto muito dele(a), mas que tenho algumas dificuldades que preciso superar com sua ajuda. A paciência e a colaboração do meu coleguinha vai me ajudar muito.

Aqui, mamãe e eu nos despedimos, agradecendo e deixando um grande abraço fraterno.

Abraão e Athayleila Lira"

Quer saber qual o resultado da carta? Posso adiantar que é lindo, mas que ficará para o próximo artigo!

Com amor fraterno,

[adinserter block="1"]

Publicidade

TAGS

Autismo

Ler matéria completa
Indicados para você