[ editar artigo]

Afinal, é correto compartilhar a cama com os filhos?

Afinal, é correto compartilhar a cama com os filhos?

Por que algumas sociedades recriminam esse ato?

A verdade é que foi realizado um estudo na Universidade de Notredame
por 38 anos e um novo conceito foi criado, o chamado breastsleeping, que une a
palavra breast (amamentação) e sleep (sono) em uma mesma palavra, incentivando a cama compartilhada pois isso facilita os cuidados com o bebê e também o descansoda mamãe. 

O antropólogo que comandou esse estudo afirma que se as devidas precauções e
cuidados forem tomados, o hábito da cama compartilhada pode sim ser realizado e contribuir para que o bebê se sinta mais seguro.

Em contrapartida, no jornal americano Pediatrcs foram publicados diversos estudos mostrando que de 8000 casos de morte súbita que ocorreram nos últimos anos, quase 70% aconteceram durante a cama compartilhada, sem contar os casos de sufocamento acidental.

Portanto, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) contraindica a prática da cama compartilhada pois afirma que existem mais riscos do que benefícios para o bebê, além de argumentar que a criança pode crescer com a necessidade de sempre dormir com alguém.

No entanto, a SBP também recomenda que os bebês de até 6 meses durmam em um berço no quarto dos pais.
Então, mamães e papais, muitos fatores devem ser analisados antes de se tomar a iniciativa de compartilhar ou não a cama com os bebês, assim como, o impacto dessa decisão na rotina de cada casal.  

A chegada do novo membro na família, a falta de sono e de tempo para cuidar de si mesmo, pode acabar afastando esses pais. Cabe ao papai um bom suporte para ajudar essa mãe a resgatar a auto estima.

Converse com seu pediatra, e exponha a sua situação, com certeza ele conseguirá te ajudar a definir o que se enquadra melhor para a realidade da sua família.

Papo de Pai
Dra. Andressa Tannure
Dra. Andressa Tannure Seguir

Pediatra, membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e especialista em Suporte de Vida em Pediatria pelo Instituto Sírio-Libanês e pelo HCOR

Ler conteúdo completo
Indicados para você